Indique este site


 

 
Importante saber
 

Home Empresa Importante saber Direitos do paciente Cadastro Contato

Acreditamos fortemente que a informaçao é uma das mais importantes armas para prevenção e o combate do câncer. Essa página contem artigos de caráter científico escritos por médicos especialistas e também outros profissionais envolvidos no tratamento do câncer.Os textos são baseados em ampla revisao da literatura especializada e refletem a visão dos autores a respeito dessa literatura.Lembre-se de sempre consultar seu médico de confiança em caso de duvidas em relaçao à saude.


Por que realizar o exame de toque retal?
A próstata é uma glândula sexual acessória localizada entre a bexiga e o pênis. Em condições normais é pequena, do tamanho aproximado de uma noz com peso médio entre 20 e 25gr. Tem a função de produzir a secreção prostática, um meio de transporte líquido adequado à condução dos espermatozoides e, portanto, imprescindível à reprodução humana.
 
Com o avançar da idade, há uma tendência natural ao crescimento prostático bem como o surgimento de doenças. Homens a partir de 40 anos (especialmente aqueles que têm história familiar de câncer de próstata) ou após 45 anos (independente da história familiar) devem se submeter ao exame digital da próstata (toque retal). Trata-se de um exame que deve ser indolor ou de pouco incômodo ao paciente. Ao exame, o médico percebe aproximadamente 60% da superfície da próstata sendo que, cerca de 70 % dos tumores prostáticos se localizam nesta área podendo ser perceptíveis ao toque.
 
Existem diferentes posições para se realizar o exame do toque retal como: 1) paciente em decúbito dorsal (barriga para cima) com os membros inferiores flexionados (joelhos dobrados), 2)em decúbito lateral ou ainda na posição genupeitoral (tórax e joelhos apoiados sobre a cama ou maca de exame) ou 3) Em pé, inclinado e apoiando os cotovelos sobre a mesa de exame. A escolha da posição depende da preferência do médico examinador e de eventuais limitações físicas do paciente. O exame se inicia por inspeção (observação) da região anal, onde podem ser encontradas hemorroidas, verrugas, fissuras, fístulas ou mesmo tumores. Após a lubrificação, o dedo indicador deve ser introduzido cuidadosamente para no início poder avaliar o tônus do esfíncter anal, que pode refletir alterações similares no esfíncter urinário. Em doenças neurológicas, essa etapa do exame é de fundamental importância. A superfície posterior da próstata deve ser examinada em sua totalidade. Seus limites devem ser notados, assim como seu tamanho. Com a experiência acumulada, o médico pode calcular com razoável precisão o volume prostático. 
 
A hiperplasia prostática (crescimento benigno da próstata), as prostatites e o câncer de próstata representam as principais doenças que acometem este órgão. No caso de hiperplasia, a próstata encontra-se aumentada, mas, habitualmente mantém consistência normal (fibroelástica) e sem tumorações ou endurecimento. A prostatite é uma infecção da próstata e no quadro agudo (prostatite aguda) pode ocorrer dor perineal (no homem compreende a região entre a bolsa escrotal e o ânus), febre, dor, ardor e dificuldade miccional. Em relação ao câncer prostático é o tipo mais comum e o segundo em mortalidade no sexo masculino. No Brasil estima-se 52.350 novos casos e pode ser perceptível ao toque retal como um nódulo duro em um dos lobos ou em caso de progressão, endurecimento de todo um lobo e envolvimento difuso da próstata. É importante ressaltar que o câncer também pode estar presente em pacientes com exame de toque retal sem alterações (o que acontece em torno de 15% a 25% dos casos). Nestes casos, o diagnóstico pode ser suspeitado por elevação do PSA ou mesmo descoberto incidentalmente (casualmente) pelo exame de biópsia (anatomopatológico) após ressecção endoscópica da próstata (cirurgia em que se faz um raspado da porção interna da próstata pelo canal da uretra e estes fragmentos que foram retirados são enviados para exame histológico).
 
Concluindo: o toque retal é importante para avaliar e diagnosticar doenças anorretais e da próstata. 
 
Lembrar: O exame de toque retal da próstata é um exame rápido e que oferece muitas informações importantes ao médico examinador.

Ele tem uma boa capacidade de predizer o volume da próstata, podendo auxiliar na escolha do tratamento.
Além das alterações da próstata, através do toque retal podem ser diagnosticadas outras doenças como câncer do canal anal, hemorroidas, fissuras perianais, condilomas e etc.
 
Para qualquer valor de PSA (antígeno prostático específico) pode haver uma doença prostática (benigna ou maligna), ou seja, somente o exame de sangue não exclui a necessidade do toque retal.
 
O controle anual da saúde prostática é o meio mais fácil e seguro de se diagnosticar doenças do reto, ânus e próstata em fase inicial e por consequência oferecendo maior probabilidade de cura.
 
Referências Bibliográficas
 
1) Kavoussi LR, Novick AC, Partin AW, Peters CA, Wein AJ. Campbell-Walsh Urology 9th ed. Philadelphia: Saunders Elsevier; c2007. Chapter 2, Anatomy of the lower tract and male genitalia; p. 38-77.

2) Kavoussi LR, Novick AC, Partin AW, Peters CA, Wein AJ. Campbell-Walsh Urology 9th ed. Philadelphia: Saunders Elsevier; c2007. Chapter 3, Evaluation of the urologic patient: history, physical examination, and urinalysis; p. 81-110.

3) Tanagho EA, McAninch JW. Smith general urology 16th ed.Manole; 2007. Capítulo 4, Exame físico do trato geniturinário; p. 44-51.

4) Carrol P. et al: Prostate-specific antigen best practice policy- part II: Prostate cancer staging and post-treatment follow-up. Urology 2001; 57:225

5) Resnick MI, Novick. Urology Secrets 3th ed. Philadelphia: Elsevier; c2003. Chapter 1, Physical examination; p. 1-3.

6) Simonsen O, Moller-Madsen B, Dorflinger T, Norgaard JP, Jogensen HS, lundhus E. The significance of age on symptoms and urodynamic and cystoscopic findings in benign prostatic hypertrophy. Urol res. 1987; 15(6): 355-358.

7) Diretrizes da European Association Urology (EAU), edição apresentada no 25th Congresso Anual da EAU, Barcelona 2010. ISBN 978-90-79754-70-0
 
8) Guideline for the Management of Clinically Localized Prostate Cancer (2007) (Reviewed and validity confirmed 2011).
 

Autor:

Dr Francisco de Assis Teixeira Guerra
CRM MG 24698

RQE 21470

Membro titular sociedade brasileira de urologia.
Mestre em cirurgia UFMG.
Urologista da unidade de transplante do Hospital Felicio Rocho.
Membro da CAU


Data da publicação: 03/2012
Data da última atualização: 03/2012


Empresa
O câncer nos próximos anos será a principal causa de morte no mundo. Acreditados fortemente que informação de qualidade, medidas de prevenção e esforços para detecção precoce da doença são armas muito importantes na luta contra o câncer.

Pensando assim criamos a Oncológica LTDA, empresa com foco na informação, prevenção e detecção precoce do câncer.

Direitos Importantes
Quais os direitos do paciente portador de câncer?

Clique aqui e conheço os direitos e auxilios do portador de câncer.
Contato
Clique aqui e entre em contato conosco.

 
LOCALIZAÇÃO

Rua Juiz de Fora, 941
Barro Preto - BH / MG
Cep: 30180-060
Tel: (31) 2126-8641
APOIO

Home
Empresa
Importante saber
Direitos do paciente
Cadastro
Contato


Copyright ©2012
ONCOLÓGICA. All rights reserved.

Reatos Comunicação